sexta-feira, 30 de março de 2012

 
 
Comemoração de Melissa, a deusa grega das abelhas.
Considerada um dos aspectos da deusa Afrodite, cujo fetiche era um favo de mel, seu nome era atribuído também às sacerdotisas da deusa Deméter e Ártemis.

Segundo uma lenda, Melissa tinha sido uma princesa cretense que tinha alimentado Zeus, quando criança, com mel colhido das flores.
Após sua morte, Zeus transformou Melissa em abelha, como gratidão por sua dedicação.

Celebração persa do Ano Novo, festejando o casamento sagrado da Deusa e do Deus e a criação da raça humana.
Antigamente, neste dia, acendiam-se fogueiras e realizavam-se rituais de fertilidade utilizando os ovos e espelhos.

Na Babilônia, festa para a deusa Baú, a Grande Mãe, senhora das águas primordiais e do espaço cósmico.


texto de Teia de Thea

FESTIVAL DE EOSTRE  

 Eostre era a deusa germânica da fertilidade, do renascimento e da Lua.. 
Seus símbolos eram os ovos e as lebres e de seus cultos originou-se a Páscoa. 


Hoje, atraia a boa sorte e fertilidade para sua casa pintando em um ovo todos os símbolos mágicos que você conhecer.
Um pouco mais sobre a Deusa Melissa

Melissa, foi o título dado as sacerdotisas de Afrodite no santuário de favo de mel do monte Eryx. A Deusa adorava as abelhas como as suas criaturas sagradas, porque elas entenderam como criar hexágonos perfeitos em sua colméia. O hexágono era a expressão do espírito de Afrodite, cujo número sagrado era o seis. 

Abelha pingente de ouro. Creta por volta de 2000 aC
 
A simbologia e importância das abelhas são percebidas desde os tempos pré- históricos. 
 
 
 
As abelhas, como todos os insetos de casulos ou os que tecem teias, servem como imagens da interconectividade milagrosa da vida. 
A intrincada estrutura celular que secreta a essência de ouro da vida é uma imagem da rede de natureza invisível que relaciona todas as coisas uns aos outros em um padrão ordenado harmonioso.

Além disso, a abelha ocupada, seguindo o impulso de sua natureza para polinizar as flores e colher o néctar para ser transformado em mel, foi um exemplo da contínua atividade dos seres humanos necessários para reunir as culturas e transformá-los em comida. 
A abelha rainha, a quem todos os outros servem durante a sua vida breve, foi, no Neolítico, uma epifania da Deusa.

Anel de ouro de vedação. Encontrado em uma tumba, perto de Cnossos 



































































































































































































 
Em Creta também a abelha significou a vida que vem da morte, assim como o escaravelho no Egito. 
Provavelmente por esse motivo, o selo do anel de ouro foi colocado em um túmulo.   
Aqui, a deusa das abelhas, a figura no centro descendo à terra, entre cobras e lírios, está a ser adorado por suas sacerdotisas, que, caracteristicamente, assumiam  a mesma forma como ela faz, todos levantando suas "mãos" no gesto típico de epifania. 
 
O mel foi usado para embalsamar e preservar os corpos dos mortos.  
As tumbas em Micenas foram modeladas como colméias.
 
 
texto  copiado de : Karina Oliveira Bezerra



Gratidão por estar visitando meu blog!! Volte sempre!!

quarta-feira, 28 de março de 2012

Dia 28 de março - agenda mágica

Deusa Tou Mu

Tou Mu que também é conhecida como a Deusa da Estrela do Norte  é venerada por taoístas e budistas.  
No panteão taoísta, ela ocupa uma posição semelhante à de Kuan Yin a bodhisattva budista.
À deusaTou Mu é creditada a realização de todos os mistérios celestes.  

Só com sua permissão é permitida a passagem entre a região da lua e do sol. Tou Mu é a mãe dos chamados Nove Soberanos Celestes.
Na maioria dos representações, Tou Mu é vista a possuir com dezoito braços e três olhos.
Eles simbolizam o seu poder de ver e realizar muitas coisas.  
Como um bodhisattva budista, ela está sentada em um lótus para denotar seu estado de iluminação.  
Tou Mu é a guardiã do livro da vida e da morte, e aqueles que buscam a longevidade muitas vezes oram a ela.  
Devotos de Tou Mu geralmente observam  o vegetarianismo no terceiro e no vigésimo terceiro dia de cada mês.

traduzido de http://www.csupomona.edu/~plin/folkreligion/toumu.html

Antigamente na China, reverenciava-se também Tou Mou, “A Escrivã do Céu”.
Ela julgava todos os atos dos homens, registrando as datas importantes de suas vidas e anotando os reinos e as atribuições das divindades dos Nove Céus.


copiado de Teia de Thea



 


Gratidão por estar visitando meu blog!! Volte sempre!!

terça-feira, 27 de março de 2012



Festival de Gauri, a deusa hindu da abundância, padroeira dos casamentos.
No Rajastão, as mulheres carregam suas estátuas para os rios, dançando ao seu redor e pedindo abundância nas colheitas.
Sua cor sagrada é o amarelo do Sol, do trigo e do milho maduro.
Acredita-se que para atrair sua proteção e a boa sorte para os relacionamentos, devem lhe ser ofertados doces, comendo-se um deles ao deitar para atrair doçura em sua vida.

Antigamente, nos países do Mediterrâneo, homenageava-se Athana Lindia, deusa ancestral que representava a fertilidade das colheitas e a paz das comunidades.
Precursora de Deméter e Ceres, ela personificava a prosperidade cultural oriunda da segurança material.
Suas esculturas eram feitas com um tronco de árvore, realçando-se apenas sua cabeça - que era adornada com as insígnias de sua cidade natal - e seu pescoço, ao redor do qual eram colocadas várias guirlandas de espigas e de flores.

Celebração romana do deus do vinho e da fertilidade Liber Pater, com libações e ritos de passagem para a entrada dos rapazes na sociedade dos adultos, havendo a troca de suas túnicas púrpuras pelas brancas.
É uma data propícia às reuniões e ritos de passagem masculinos.

copiado de Theia de Thea


DIA DE GAURI

Na Índia, celebrava-se neste dia Gauri, um dos aspectos da deusa Durga que possui 9 manifestações.
Acreditava-se que um ritual feito com mel neste dia levaria doçura e amor à alma.
Reviva este antigo ritual fazendo receitas que levem mel, como pão da felicidade ou balas de mel e oferte às pessoas que desejar.
Todo mel e doçura que você distribuir voltarão multiplicados para você.


Deusa da Abundância, padroeira dos casamentos.
Durantes os festivais em sua honra, as mulheres colocam suas roupas mais belas e pedem para que o Deusa lhe traga o marido escolhido.

Já as casadas rogam por uma vida conjugal feliz.
No Rajastão, as mulheres carregam sua estátua para os rios, dançando ao seu redor e pedem abundância nas colheitas.
Sua cor sagrada é o amarelo do Sol, do trigo e do milho maduro.
Acredita-se que, para atrair sua proteção e a boa sorte, devem lhe ser ofertados doces, comendo-se um deles ao deitar para atrair doçura às nossas vidas.
A Lua Crescente marca o festival de Gauri na Índia.
Ela é a Deusa que representa a pureza e a austeridade.

copiado do site: www.tribosdegaia.org


Maha Gauri


Ela é reverenciada no oitavo dia do Navaratri.
Seu poder é infalível e instantaneamente frutífero.
Como resultado de sua adoração, todos os pecados do passado, presente e futuro são levados pela água e os devotos se tornam purificados em todos os aspectos da vida.
Maha Gauri é inteligente, pacífica e calma.
Devido a suas longas austeridades nas profundas florestas do Himalaia, ela desenvolveu uma pele escura.
Quando Shiva a limpou com as águas do Ganges, seu corpo recuperou sua beleza e ela ficou conhecida como Maha Gauri, que significa ‘extremamente branca’.
Ela veste roupas brancas, tem quatro braços e monta um touro.
Sua mão direita superior está na posição que afasta os medos e a direita inferior segura um tridente.
A mão esquerda superior leva um ‘damaru’ (um pequeno tambor de guizo) e a inferior está na posição de garantir dádivas a seus devotos.



Gratidão por estar visitando meu blog!! Volte sempre!!

sábado, 24 de março de 2012

24 de Março - dia de Emer

 
Dia de Emer
Na Irlanda, reverenciava-se Emer, a Deusa da luz solar, da beleza e do conhecimento. Emer representava todas as virtudes femininas, como a beleza, a eloquência, o talento artístico e musical, a suavidade, a lealdade e a sabedoria.

 Na lenda, o Wooing de Emer, Cu Chulainn foi seu pretendente. Ela era dotada de tudo o que uma mulher poderia possuir - sabedoria, talento e inteligência.  
Ela era linda de se olhar e bem-educada

."Emer levantou seu rosto lindo e reconhecido Cuchulainn, e ela disse:" Que Deus 
 faça de preparar o caminho diante de ti! "
"'E você," ele disse,' você pode estar seguro de todos os danos. "
Ela pergunta-lhe de onde ele veio, e ele diz a ela.  
Em seguida, ele questiona-a sobre si mesma.
"Eu sou a mais branca das moças, aquela que foi admirada, mas que não olha para trás, uma estrada muito longe de ser alcançada, que nunca foi percorrida .... Eu fui criada nas antigas virtudes, em um comportamento lícito, sob a guarda da castidade, em grau igual a uma rainha, na pompa e na forma, de modo que para mim é atribuída toda a graça nobre entre as hostes de mulheres de Erin. Meus seis dons: o dom da beleza, o dom da voz, o dom da fala doce, o dom da agulha trabalho, o dom da sabedoria, o dom da castidade."

Quando Cú Chulainn (Cu Chulainn) tornou-se adulto o suficiente para começar seu treinamento, o jovem se apaixonou por Emer, a filha do Monach Fogall chietain.  
Cú Chulainn começou a cortejá-la. Ele dirigia seu carro a Dun Fogall. Cú Chulainn descobriu que ela não se casaria com um homem sem ele ter realizado um feito heróico.
Cú Chulainn decidir que ele iria treinar com uma mulher guerreira chamada Scathach. Scathach  vivia em Skatha (Skye), a "Land of the Shadow" - a terrra das sombras. Muitos heróis procuravam-na para passarem por seu treinamento, mas poucos passavam nos testes.
Cú Chulainn teve de atravessar o lamaçal "Planície de má sorte" e evitar as criaturas de "Glen Perigoso", antes de chegar a "Ponte do Salto". Aqui, Cú Chulainn encontrou seu amigo Fer DIAD MacDamann, o guerreiro Firbolg jovem, mas gigante.
No meio da garganta, houve uma plataforma móvel que se deslocar para cima e para baixo. Um guerreiro tinha que pular para esta plataforma antes que ele possa saltar novamente para a segurança do outro lado do desfiladeiro. Ou o guerreiro era
jogado de volta onde começou, ou iria cair na água (abaixo), que estava infestada de monstros marinhos. Nem Fer DIAD nem os outros guerreiros que estavam com ele chegaram ao outro lado do desfiladeiro.
Depois de descansar por um tempo, Cú Chulainn decidiu dar o salto. Três vezes ele saltou para a plataforma do meio, e cada vez que ele era jogado. O
quarto salto  foi enorme, e Cú Chulainn conseguiu passar a Ponte do Salto.
Depois de ter conseguido todos os testes perigosos, Scathach concordou em ensinar Cú Chulainn sua arte marcial. Após passar um ano, Cú Chulainn aprendeu novas habilidades de luta e guerra. Ele tinha ficado com a mulher guerreira, até Scathach decidiu ensinar-lhe a última habilidade, o Bolg gae.
A maneira que eu entendo, a lança mortal era atirada pelos dedos de seu pé. Perfurando seu inimigo na barriga, a lança prenetrava em quase todas as partes do corpo do oponente com farpas. Cú Chulainn dominou a habilidade do Bolg gae.
Antes dele ser liberado por
Scathach, irrompeu a guerra entre Scathach e outro mulher-guerreira chamada Aife. Mesmo Scathach estava receosa de enfrentar Aife, que era a guerreira mais forte e mais  temível na Grã-Bretanha.
Embora Scathach não quisesse que Cú Chulainn entrasse em batalha com ela, ele veio de qualquer maneira. Cú Chulainn desafiou Aife para um combate mortal. Antes do duelo começar, o jovem herói aprendeu com Scathach, que as coisas que Aife tinha mais apreço eram a sua carruagem e seus cavalos.
Logo Aife conseguiu desarmar Cú Chulainn de todas as suas armas.  

Antes  de Aife despachar o herói desarmado, Cú Chulainn exclamou que seus cavalos haviam caído. Aife ficou momentaneamente distraída e Cú Chulainn pulou em cima dela, desarmando-a e ameaçando mata-la. Cú Chulainn concordou em poupá-la, se Aife concordarasse em não atacar sua mentora novamente. Aife concordou.
Cú Chulainn permaneceu mais tempo, onde ele e Aife se tornaram amantes. Quando ela engravidou, Cú Chulainn deu-lhe um anel para que Aife desse ao seu filho.  

Cú Chulainn disse-lhe para enviar seu filho para ele quando ele tivesse idade suficiente para usar o anel. Cú Chulainn colocar um sortilégio sobre o filho por nascer. O sortilégio que ele havia colocado em seu filho, chamado Connla, foi de que ele nunca revelasse o seu nome, de nunca negar combate ou desafio. Anos mais tarde, este sortilégio traria conseqüências trágicas sobre Connla.
Cú Chulainn voltou à Irlanda com seu cocheiro. Sozinho, ele desafiou e lutou contra os filhos de Nechtan. Em uma fúria incontrolável, todos os filhos de Nechtan foram mortos, ele decepou todas as cabeças que mantinha como troféus. Ainda sofrendo com a fúria de batalha, ele capturou vários animais vivos, amarrá-os para o seu carro antes de retornar a Emain Macha.
Conchobar percebe que muitas pessoas morreram, por isso ainda estava furioso.  

O rei ordenou que todas as mulheres bonitas fossem colocadas nuas do lado de fora dos portões, para atender Cú Chulainn fora dos portões! 
Mas Cú Chulainn envergonhou-se ao ver tantas mulheres nuas, e isso serviu para distrair o jovem herói.  
Enquanto ele estava distraído, os guerreiros de Emain Macha apoderam-se dele e jogáram-no em um tanque de água fria.  
A água ferveu no tanque antes de explodir. Várias vezes ele foi afundado em água fria, até que a raiva se aplacasse e ele recuperasse a compostura.
Depois de realizar um feito heróico, Cú Chulainn começou a cortejar Emer novamente. Fogall Monach não queria que o herói como seu genro. Fogall trancou a portas, mas Cú Chulainn pulou o muro alto e atacou os guerreiros.


Cú Chulainn realiza todos os feitos exigidos por Emer, retorna para Emain Macha, onde se casa com Emer.


tradução adaptada por mim.


aproveite a energia dessa deusa e faça algo para a sua beleza. 
Compareça a uma clínica de estética, a um SPA ou salão de beleza. 
Se arrume, sinta a energia de Emer, deixando a beleza fazer parte da sua vida.
(sugestão de http://www.casadebruxa.com.br/v3/horoscopodiario/default.asp?id_horoscopo=40)

Gratidão por estar visitando meu blog!! Volte sempre!!

quarta-feira, 21 de março de 2012

21 de março



Eurynome é a Deusa  grega da Criação.
É uma Deusa antiga, pré-Helênica.
Originalmente ela foi a governante do Olimpo, Mãe dos Deuses e do Universo.

Do caos, Eurynome surgiu e dividiu o mar dos céus, dançando seu êxtase sobre as ondas.
Sua dança levou-a a criar o vento norte, o qual ela transformou em serpente dando-lhe o nome de Ophion.

Eurynome fez amor com Ophion, transformou-se em pomba e botou o ovo cósmico que continha toda a Criação.

Como foi Ophion que quebrou o ovo, achou que tinha o direito de se proclamar o responsável pela Criação. Sabendo disso Eurynome aprisionou-o no Tártaro e continuou a criar o Universo.
 
Eurynome pode ser recuperada hoje em dia com toda a sua força, poder e plenitude. Ela representa a mulher criativa, livre e entusiasta.

O êxtase e o prazer são símbolos desta Deusa que criava o mundo com alegria e exuberância através do movimento espiralado de Sua dança.

Eurynome nos faz pensar no verdadeiro poder da criação feminina. Esta que é livre, prazerosa, plena e autônoma.

Anna Leão


copiado do site: http://www.annaleao.com.br


Celebração da deusa celta da primavera Eostre ou Ostara, com oferendas de ovos coloridos colocados em ninhos de palha. 
Foram essas antigas celebrações que originaram os costumes atuais de presentear com ovos de chocolate na Páscoa.

Comemoração eslava da deusa Marzana ou Marena, a senhora do tempo, da natureza e da vida. 
Em seu aspecto de Kostroma, ela é a Donzela que morre no inverno e renasce na primavera. 
Neste dia, sua efígie feita em palha era carregada em procissão até o rio e entregue à água, levando junto com ela os males da comunidade. 
As pessoas se banhavam e se jogavam na água para morrerem e renascerem, alternando o choro e o riso.
Na mitologia irlandesa, afirma-se que a cidade sagrada de Tara foi fundada neste dia pelas princesas Tea e Tephi.

copiado de Teia de Thea


Gratidão por estar visitando meu blog!! Volte sempre!!

segunda-feira, 12 de março de 2012

As 13 matriarcas da Blessed Arte Mágica!!


Como regentes das treze lunações, as Treze Matriarcas protegem a Mãe Terra e todos os seres vivos, seus atributos individuais sendo as dádivas trazidas por elas à Terra.

O símbolo da Mãe Terra é a Tartaruga e seu casco, formado de treze segmentos, simboliza o calendário lunar.  

Seguindo essa informação idealizei uma tartaruga contendo as 13 matriarcas em seu interior.

Cada uma por si só e todas em conjunto, começaram a agir para devolver às mulheres a força do amor e o bálsamo do perdão e da compaixão que iriam redimir a humanidade. Essa promessa de perfeição e ascensão iria se manifestar em um novo mundo de paz e iluminação, quando os filhos da Terra teriam aprendido todas as lições e alcançado a sabedoria.
Cada Matriarca detinha no seu coração o conhecimento e a visão e no seu ventre a capacidade de gerar os sonhos.
Na Terra, elas formaram um conselho chamado "A Casa da Tartaruga" .

Essa é a proposta do Resgate do Sagrado Feminino para que todas as mulheres possam resgatar o contato com essa ancestralidade maravilhosa atraves desse artesanato encantado!!!

A tartaruga possui em seu interior as 13 matriarcas (uma para cada lunação) e dessa maneira durante todo o ano  (13 luas)  através do artesanato lúdico a conexão com a Ancestralidade se estabeleça.










No interior do "casco" da tartaurga contendo as 13 matriarcas  circulo de 30 cm de diametro.
Cada matriarca mede aproximadamente 11 cm de altura por 5 cm de largura.
Puxando as fitas, "fechamos" o ventre e mantemos as 13 matriarcas em seu interior
Tartaruga contendo em seu interior as 13 matriarcas e o Oráculo das 13 matriarcas, com as lições que cada matriarca traz consigo!!
circulo de + ou - 17 cm de diametro por 10 cm de altura


Valor de R$260,00+ taxa de envio

somente por encomenda
Prazo de entrega 15 dias úteis.

Gratidão por estar visitando meu blog!! Volte sempre!!

domingo, 11 de março de 2012

11 de Março - Calendário Mágico





Nesta data em 1314, Jacques Demolay, o último Grande Mestre da Ordem dos Cavaleiros Templários, foi queimado vivo num poste.
Pouco antes de morrer previu com precisão a morte do rei Felipe IV da França no prazo de um ano e a morte do Papa Clemente V dentro de 40 dias.



Celebração da deusa grega Hypatia, uma das Musas que regia a arte, a ciência e a criatividade.
Era venerada no templo de Delphi juntamente com suas irmãs Mese e Nete, cujos nomes significavam “uma das três cordas da lira”.
De acordo com o local de seus cultos, o número de Musas variava:
eram três em Delphi e no Monte Helicon, sete em Parnaso e nove em Atenas, embora elas conferissem sempre seus talentos e habilidades aos homens.

Dia de Hércules, o herói e semideus romano, o símbolo da coragem e da força física.
Um mito antigo relata uma luta entre Hércules e Hyppolyta, a linda rainha Amazonas.
Filha do deus Ares, ela usava o cinto de ouro, sinal de sua soberania e poder.
Os guerreiros gregos cobiçavam esse tesouro e foram em busca dele, liderados por Hércules, que foi desafiado por Hippolyta para uma luta.
O desfecho dessa batalha é relatado de forma confusa e contraditória, dependendo da fonte.
A versão patriarcal descreve a vitória de Hércules com a prisão e morte de Hippolyta.

Aproveite a data para avaliar de que maneira você pode aumentar sua força, usando sua coragem para mudar a si própria e a sua vida.

Invoque, depois, as Musas, pedindo-lhes que a ajudem a desenvolver suas habilidades inatas e seu potencial criativo ainda não manifestado.
Invoque também Hippolyta para que ela a oriente na maneira de lutar e vencer, sem medo de oposições ou humilhações.

copiado de Teia de Thea

Gratidão por estar visitando meu blog!! Volte sempre!!

sábado, 10 de março de 2012

10 DE MARÇO


Celebração de Al-Lat, Elath ou Alilat, a deusa árabe representando a criação e a Terra.
Antigamente, Al Lat era reverenciada em Meca sob a forma de um grande bloco de granito. 
Mulheres nuas dançavam ao redor da pedra, invocando a “Senhora” e pedindo-lhe proteção e abundância. 
Os juramentos eram feitos em seu nome pois, como a Terra, ela era eterna e indestrutível. 
Recitava-se esta afirmação: “Eu juro pelo sal, pelo fogo e por Al-Lat, que é a maior de todos”.
Al-Lat é uma deusa muito antiga, fazendo parte de uma tríade de deusas do deserto que incluem Al Uzza e Menat. 
Al-Lat representava a terra, a frutificação e a procriação humana e animal. 
Al Uzza era a deusa virgem da estrela matutina e Menat era a força do destino, anciã senhora do tempo e da morte. 
O culto a Al-Lat foi abolido por Maomé, que transformou a deusa no deus Allah.
 
Festa de Anna Perenna, a deusa romana com duas cabeças, regente do tempo e da reprodução vegetal, animal e humana. 
Suas celebrações incluíam danças, libações e rituais de fertilidade para atrair a abundância da terra.

copiado de Teia de Thea

Gratidão por estar visitando meu blog!! Volte sempre!!

sexta-feira, 9 de março de 2012

09 DE MARÇO





Celebração de Ala ou Ane, a Mãe Terra das tribos Ibo na Nigéria, criadora da vida e senhora da morte.
Ala cuidava e protegia seu povo, providenciando tudo o que favorecia e sustentava a vida.
Ela deu as leis, ensinou os preceitos da moralidade, forneceu os meios para curar as doenças e estava presente no momento em que a alma fazia sua passagem.

Nos templos e nas casas nigerianas encontram-se, até hoje, esculturas em madeira representando Ala cercada de crianças ou segurando inhames e uma faca nas mãos, símbolos da vida e da morte.
Nas aldeias Ibo, há sempre uma árvore sagrada em que são colocadas as oferendas para Ala, fazendo-se os sacrifícios ritualísticos no início e no fim dos plantios.

Festa de Hisi Wang Um, a Deusa Mãe do céu do oeste na antiga China, representando o princípio feminino Yin, enquanto seu marido Tung Wang Kung, representava o princípio masculino Yang.
Essa deusa vivia em um palácio dourado nas montanhas Kun Lun, onde dava uma grande festa a cada três mil anos e distribuía aos outros deuses os pêssegos da imortalidade.
As mulheres veneravam-na, agradecendo-lhe a dádiva da menstruação.

Celebração do casal divino grego, Afrodite e Adonis.

copiado de Teia de Thea


Ala é uma deusa do Ibo, as pessoas da África do leste da Nigéria.
A filha do grande deus Chuku, ela é a deusa mãe da terra, governante domundo, guardiã da colheita, e deusa da fertilidade, tanto para pessoas como para os animais.
De acordo com crenças Ibo, Ala faz uma criança crescer dentro do ventre de sua mãe. Ela permanece por perto até que a criança cres e se torne um adulto. Mais tarde, quando o indivíduo morre, Ala recebe-o em seu ventre sagrado.
 


Ala é a deusa da fertilidade da terra nigeriana do povo Ibo. O povo Ibo da Nigéria chama- a de  "mãe de todas as coisas" , mas ela é também a terra fértil e o campo vazio após a colheita.  
Ela está presente no início do ciclo da vida, fazendo com que as crianças cresçam no ventre de sua mãe, e ela está lá no final do ciclo, para receber as almas dos mortos em seu próprio ventre
Ala também dá as leis ao povo, enfatizando a importância da honestidade e do respeito. Os templos dedicados a deusa Ala são chamados MBARI e são construídos no centro das aldeias, contendo uma estátua de barro de Ala, que é pintado em cores brilhantes. Estas estátuas mostram geralmente Ala com um tronco longo e um grosso e longo pescoço, que são considerados sinais de beleza entre os Ibo 
Junto a ela estão divindades e animais.  
Ala é também conhecida como Ale, Alla, e Ane
Ela é a Alusi mais importante do panteão ibo. 
Em Odinani, Ala governa o submundo que detém os antepassados ​​falecidos no seu ventre.  
Seu nome se traduz literalmente como "terra" na língua ibo, indicando seus poderes sobre a terra e sua regencia sobre o próprio solo. Ala é considerado o maior Alusi no panteão ibo e foi o primeiro criado por Alusi Chukwu, Deus Todo-Poderoso. Ala marido é Amadioha, o deus do céu.

Como a deusa da moralidade, Ala está envolvida no julgamento das ações humanas e é responsável pelas leis e o costumes conhecidos como 'Omenala'.  

Tabus e crimes entre as comunidades ibo que são contra o padrão de Ala são chamados 
O mensageiro de Ala  e agente de vida na terra é a serpente, que é e animal especialmente reverenciado em muitas comunidades ibo.

Ala ainda é adorada pelo povo ibo da Nigéria e é anualmente homenageada durante o festival Yam.


copiado de http://37thstate.tumblr.com/post/13921891134/ala-igbo-earth-mother-goddess

Gratidão por estar visitando meu blog!! Volte sempre!!

quinta-feira, 8 de março de 2012

08 de março

 
Parabéns Mulheres, filhas da Grande Mãe, responsáveis pela volta das Deusas a Terra e pela manutenção da chama do amor e da fé no coração da humanidade.


Dia Internacional da Mulher, data escolhida em lembrança a uma série de manifestações em protesto a um incêndio ocorrido em 1857, em Nova Iorque, em uma fábrica onde as operárias trabalhavam em condições desumanas.

Dia propício para lembrar as vítimas da opressão e da violência, passada e presente e celebrar o fortalecimento crescente das mulheres.

Dia da Mãe Terra na China, a antiga deusa ancestral Di Um ou Di Ya, celebrando-se as dádivas da Terra com paradas nas ruas, fogos de artifícios, danças e músicas.
As pessoas ofertavam “presentes de aniversário” para a Mãe Terra, colocando moedas, flores, incensos e bonecas de papel em buracos abertos e depois cobertos com terra, agradecendo-se por tudo aquilo que lhes dava.

copiado de Teia de Thea

Gratidão por estar visitando meu blog!! Volte sempre!!

terça-feira, 6 de março de 2012

06 DE MARÇO


Dia de Marte, o deus romano da guerra. 
Neste dia, celebravam-se também os deuses protetores dos lares. 
 
Na Grécia pré-matriarcal, a precursora de Marte foi a deusa da guerra Enyo, “A Destruidora”, transformada depois em sua filha e sua auxiliar nas operações de guerra.

Véspera de Junoália, em Roma, a celebração das mulheres e moças. 
 
Este dia era considerado nefasto devido à influência belicosa de Marte e, para amenizar os influxos deste dia, exaltava-se a Paz e faziam-se preces e oferendas para as deusa Vênus e Juno.
Reverenciava-se, também neste dia, Eris, filha de Hera e Zeus, irmã de Ares, padroeira da guerra e da discórdia e chamada pelos romanos de Discórdia. 
Suas filhas, as Androktiasi, simbolizavam o sofrimento, a disputa, a fome, a chacina, a luta, a infração das leis e a matança. 
Os gregos lhes faziam oferendas para que se mantivessem afastadas de suas vidas.

copiado de Teia de Thea

 

Agenda mágica da Blessed
 



























ARES — MARTE

Ares (nome grego) — Marte (nome romano)

ARES

Deus da guerra, simbolizado apropriadamente pelo abutre, era detestado pelos pais, Zeus e Hera, mas era estimado por Hades, porque as guerras que Ares provocava aumentavam a população do inferno. 
Ares embaraçou os outros deuses quando ele e Afrodite foram surpreendidos num encontro amoroso pelo marido de Afrodite, Hefesto, que os apanhou com uma rede quase invisível. 
Mas Ares, embora fosse um guerreiro persistente, nem sempre tinha êxito. 
Foi capturado pelos gigantes e ferido três vezes por Héracles e uma vez por Diomedes. 
Como símbolo da guerra e de seus males, sofrimentos e tristezas, infundia respeito e terror aos gregos, mas nunca foi objeto de adoração.

MARTE
Deus da guerra. 
Conforme Hesíodo, era filho de Júpiter e de Juno. 
De acordo com os poetas latinos, Juno, invejosa de ter Júpiter tirado Minerva de seu cérebro, quis imitar a façanha, e produzir um filho sem o concurso de seu esposo ou de qualquer outro homem.
Resolveu dirigir-se para o Oriente, a fim de aí encontrar os meios propícios a tal realização. 
Fatigada do caminho, sentou-se ao pé do templo da deusa Flora, que lhe perguntou a causa da sua viagem.
A deusa, ouvindo seu desejo, mostrou-lhe uma flor maravilhosa, a qual, pelo simples contato, fecundava qualquer mulher, sem o auxílio de qualquer homem.
Assim deu a luz a Marte, que foi confiado aos Dáctilos. 
O jovem tornou-se árbitro dos combates. 
Marte teve inúmeras amantes, mas amava sobretudo Vênus, esposa de Vulcano, que os apanhou em pleno adultério. 
Teve inúmeros filhos.
É o deus da guerra feroz, sangrenta, brutal, ao passo que Minerva é a deusa da guerra estratégica, hábil e inteligente.  
Dizem que sua voz era mais estridente que a de dez mil homens.
Os gregos não o veneravam e dizem ser odiado pelas próprias divindades. 
Os Romanos, porém, prestaram-lhe culto excepcional, chegando a ser o deus nacional.
Era o pai de Rômulo e Remo, ligados a fundação de Roma. 
Figuram-no armado de escudo, com capacete e lança.


 

Gratidão por estar visitando meu blog!! Volte sempre!!

Doando as unidades que ainda possuo! - Ana Maria Braga mostra a que ela possui!!

pesquise aqui os assuntos que procura!!!

Quem sou eu

Minha foto

Sou alguém que se encanta pela vida no dia a dia, descobrindo sempre novas formas de agir, se melhorando e tentando melhorar o seu redor. Acreditando que a Luz está dentro de cada um e que ela deve iluminar sempre a caminhada. Tenho como intenção: fazer amigos, aperfeiçoar a vida, dedicar-me às boas obras, promover a verdade e reconhecer nos semelhantes meus irmãos de caminhada. Descobrindo sempre mais e mais de vários mundos: Mundos terapêuticos, ideais, sustentáveis, mágicos, de Paz...