quarta-feira, 2 de março de 2011

02 de Março - dia da vovó Marta

Vovó Marta (avó de março) é o símbolo do renascimento da natureza que
marca o final do inverno e o início da primavera (tendo como referência o hemisfério Norte).
Os búlgaros presenteiam-se com a Martenitsa -
desejando saúde e boa sorte até a Primavera seguinte.
A cor branca simboliza o começo do homem, 
poder e pureza ao mesmo tempo.
A cor vermelha está no começo da mulher: o sangue, a
concepção e o
nascimento.


Também conhecida como Vovó Março, na Bulgária, que nada mais é do que uma representação da Deusa Anciã.
A lenda contava que, se alguma mulher trabalhasse nesse dia, Vovó Março ficava furiosíssima e destruiria as colheitas.
Por isso, as mulheres passavam o dia todo pedindo à Deusa bênçãos para que as colheitas fossem fartas.
Diz-se que as mudanças de humor da Vovó Marta, muitas vezes, são manifestadas através do clima estranho que vigora durante esse mês.
O mês é considerado como o único mês feminino do ano.
A fim de celebrar o Dia da Vovó Marta búlgaros presenteiam uns aos outros com franjas feitas de lã vermelha e branca, chamada martenitsa-símbolizando saúde, boa sorte até  a Primavera seguinte.
A cor branca simboliza o começo do homem, poder e pureza ao mesmo tempo.
A cor vermelha está no começo da mulher: o sangue, a concepção e o nascimento.
Até o final do mês você pode ver milhares de martenitsi pendurados em árvores e arbustos.
Acredita-se que eles precisam para ser pendurado no galho onde florescer a primeira flor para a boa sorte.


Na martenitza tradicional búlgara, as mulheres entrelaçam moedas, dentes de alho seco, miçangas, argolas de ferro, pêlos do rabo de cavalo, cascas de caracol, etc.
É por isso que a martenitza é considerado um amuleto contra as forças do mal.
As crianças usam seus martenitzas no pulso direito, ao redor do pescoço ou no peito, enquanto as moças e as noivas usam-na ao redor do pescoço ou em seus cabelos.
Os homens, porém, amarram a martenitza acima do seu cotovelo esquerdo ou no tornozelo esquerdo.
Martenitzas são amarradas em animais jovens e as árvores frutíferas.
As pessoas usam a martenitza até verem uma cegonha. Em seguida, amarram-na em um galho de árvore frutífera, fazem um desejo e tem a certeza de que ele irá se tornar realidade.
A tradição continua a ser a mesma de quando começou, mas os búlgaros da atualidade usam as cores vermelha e branca para agradar a Baba (vovó) Marta para que ela não traga o frio.
Ao fazê-lo, estão expressando a esperança de que a primavera venha o mais rapido possível.
Colocam em suas roupas ou usam no pulso, e devem mantê-las até verem os sinais da primavera: um pássaro associado com a primavera (a cegonha, a garça) ou ver árvores florescendo.
Só depois de verem esses sinais, retiraram as martenitzas, porque sabem que a primavera chegou verdadeiramente.

Em diferentes partes do país, no entanto, o processo pode ser um pouco diferente.
Depois de ver a cegonha, alguns amarram a Martenitza em uma árvore frutífera, simbolicamente, dando a árvore a saúde e a sorte que teve ao usar o martenitza.
Outros irão colocar a martenitza sob uma pedra.
O tipo de inseto encontrado ao longo do dia, próximo da martenitza etermina a sua saúde para o resto do ano.
Se for uma minhoca ou uma formiga, será um ano muito saudável, e ele terá sucesso, embora a formiga signifique que  terá que trabalhar muito para alcançar o sucesso.
Se for uma aranha,  estará em apuros e poderá não ter boa sorte com a saúde e sucesso pessoal.
Nos  primeiros
dias de março todos devem usar suas martenitzas, especialmente crianças, casais recém-casados, recém-nascidos e animais domésticos. Às vezes são colocadas até mesmo nas árvores frutíferas, nas maçanetas das portas.


Comemoração de  Madder-akka, “A Velha”, a deusa finlandesa da terra, da natureza, da cura e da magia.

 

Akka, Deusa da Fertilidade


Akka é, tradicionalmente, o espírito feminino nas mitologias Finlandesa e Sami.

O povo Sami, também escrito Sámi, ou Saami são um dos povos indígenas do norte da Europa.
Habitam a região que abrange partes do norte da Suécia, Noruega, Finlândia, Península de Kola, na Rússia, e também na zona fronteiriça entre o Centro e Sul da Suécia.
Estão entre os maiores grupos étnicos indígenas na Europa.



Na mitologia Finlandesa, Akka é Deusa da Fertilidade, esposa de Ukko, Deus do Trovão.
Ela poderia ser vista como o princípio feminino da natureza, a Mãe Terra a quem Ukko (relacionado a Deidades do Tempo) fertilizou.
Akka é responsável pela fertilidade, força e sexualidade femininas.
Encarregada da procriação de pessoas e animais, além do crescimento das plantas.

Na mitologia Sámi, a primeira Akka foi Madder Akka.
Deusa que incorpora o arquétipo materno, junto com seu companheiro, Madder Atcha, formou o casal divino que criou a humanidade. Madder Atcha foi responsável pela alma, enquanto Madder Akka pelo corpo.

FONTES:
The Gods of Finland and Lapland: http://www.godchecker.com/pant heon/finnish-mythology
Smart, Dr. Anthony, “Madderakka (1999)”: Encyclopedia Mythica
copiado de http://raquelnaturologa.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Doando as unidades que ainda possuo! - Ana Maria Braga mostra a que ela possui!!

pesquise aqui os assuntos que procura!!!

Quem sou eu

Minha foto

Sou alguém que se encanta pela vida no dia a dia, descobrindo sempre novas formas de agir, se melhorando e tentando melhorar o seu redor. Acreditando que a Luz está dentro de cada um e que ela deve iluminar sempre a caminhada. Tenho como intenção: fazer amigos, aperfeiçoar a vida, dedicar-me às boas obras, promover a verdade e reconhecer nos semelhantes meus irmãos de caminhada. Descobrindo sempre mais e mais de vários mundos: Mundos terapêuticos, ideais, sustentáveis, mágicos, de Paz...